Município de Loulé - Câmara Municipal de Loulé

Iniciativas

botao_-_25abrillogo_cine-teatroMAmedCIDADE_EDUCADORACEDpromo_1op14

Galeria de Presidentes

  • Vítor Manuel Gonçalves Aleixo (1999-2002; 2013-)

    Vitor Aleixo

     

    Vitor Manuel Gonçalves Aleixo nasceu na freguesia de S. Clemente, Concelho de Loulé, em 7 de fevereiro de 1956. Filho de Vitalino Martins Aleixo e Maria Isabel Casimiro Gonçalves, é casado e tem dois filhos. 

    Fez os estudos do ensino primário em Loulé e o ensino secundário no Liceu Nacional de Faro. Em 1975 cumpriu o Ano de Serviço Cívico à Comunidade desenvolvendo trabalho de apoio às Escolas Primárias do Concelho de Loulé. Ingressou na Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa no ano letivo de 1976/77. Em 1977 passou a  frequentar a Faculdade Preparatória do Instituto de Engenharia de Petróleos, em Baku, no Azerbaijão. De 1978 a 1982 frequentou a Universidade de Rostov/Don, na Rússia, onde se licencia, com honra, em História e Ciências Sociais. Tem um trabalho de investigação de história regional publicado no nº da revista do Arquivo Municipal “O Nacional Sindicalista, semanário algarvio do Movimento Nacional Sindicalista, 1932 – 1933”.

    Iniciou a sua atividade política nos círculos juvenis da oposição democrática no Atlético de Loulé. Participou ativamente no movimento estudantil democrático após o 25 de Abril. Foi Deputado Municipal desde 1986 até dezembro de 1997. Foi o primeiro presidente da Fundação António Aleixo tendo contribuído ativamente para o arranque daquela Instituição de Solidariedade Social designadamente para a construção do Centro Comunitário em Quarteira. Em 1997, integrou a lista do Partido Socialista à Câmara Municipal de Loulé vindo a assumir a sua presidência em 19 de julho de 1999 após a renúncia do então presidente Joaquim Vairinhos. Entre 2002 e 2009 exerceu sempre o lugar de vereador sem pelouro na Câmara Municipal de Loulé.

    Nos últimos 3 anos tem sido o principal dinamizador de um círculo de debates e conferências que se têm realizado na cidade de Quarteira em que participaram como convidados alguns investigadores e jornalistas de grande notoriedade pública.

    Tem prestado ao longo da sua vida um intenso serviço à Comunidade local e regional.

  • Sebastião Francisco Seruca Emídio (2002-2013)

    Seruca Emídio  Dados Biográficos:

      Nome: Sebastião Francisco Seruca Emídio

      Data de Nascimento: 2 de Novembro de 1954

      Natural: Loulé

      Habilitações Académicas: Curso de Medicina

      Profissão: Médico

     

    Habilitações Literárias:

    Conclusão do Curso de Medicina, na Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa, 1978

     

    Percurso Profissional:

    Ingressou na Carreira de Clínica Geral em Março de 1983, em Loulé.

    Nomeado Director do Centro de Saúde de Loulé, em 1986, função que desempenhou durante dois anos.

    Médico de 1984 a 1993 na Unicer.

    Antes de ser eleito Presidente da Câmara Municipal de Loulé, exercia a actividade de Médico no Centro de Saúde de Loulé - Extensão de Quarteira, bem como de Medicina Curativa na Cimpor, desde 1993.

     

    Funções Sociais:

    Vice-Presidente do Louletano Desportos Clube, no período de 1990 – 1991.

    Durante vários anos Médico ao serviço do Louletano Desportos Clube, Juventude Sport Campinense, Clube Desportivo Recreativo Quarteirense e Clube Desportivo Boliqueime.

     

    Funções Políticas:

    Candidato a PSD à Presidência da Câmara Municipal de Loulé, em 1993.

    Vereador da Câmara Municipal de Loulé, de 1994 a 1997.

    Candidato do PSD à Presidência da Assembleia Municipal de Loulé, em 1997.

    Deputado Municipal no mandato 1998 – 2001.

    Presidente da Câmara Municipal de Loulé no mandato 2001-2005.

    Presidente da Câmara Municipal de Loulé eleito para o mandato de 2005-2009.

    Vice-Presidente da AMAL – Associação de Municípios do Algarve.

  • Joaquim Manuel dos Santos Vairinhos (1990-99)
     
    • Presidente da Câmara Municipal de Loulé de 1990 a 1999
    • Vereador da Câmara Municipal de Loulé de 1985 a 1989
    • Membro do Conselho de Administração da Associação dos Municípios do Sotavento algarvio e da Associação dos Municípios do Algarve.
    • Técnico Pedagógico da Inspecção-geral de Educação de 1985 a 1990.
    • Orientador Pedagógico do Distrito de Faro, Ministério da Educação de 1981 a 1985.
    • Coordenador Concelhio de Educação Física em Loulé de 1978 a 1980.
    • Regente de Cursos de Português em Rouen, França de 1975 a 1976.
    • Delegado Escolar do Concelho de Loulé de 1972 a 1975.
    • Presidente da Assembleia Geral do Louletano Desportos Clube de 1973 a 1975.
    • Fundador da Casa da Cultura de 1979 a 1983.
    • Fundador e Presidente do Clube de Ténis de Loulé de 1983 a 1984.
    • Fundador e Presidente da Assembleia do Rugby Clube de Loulé.
    • Presidente da Assembleia Geral da Associação de Andebol do Algarve de 1972 a 1973.
    • Presidente da Assembleia Geral da Associação de Futebol do Algarve 1992.
    • Atleta do Louletano Desportos Clube e Sport Lisboa e Benfica de 1965 a 1974.
    • Membro Efectivo do Comité das Regiões da União Europeia.
    • Deputado do Parlamento Europeu 1999 - 2004
  • José António Guerreiro Cavaco (1985-89)

    José António Guerreiro Cavaco  foi Membro da Assembleia de Freguesia de Salir de 1976 a 1979. deputado Municipal de Loulé de 1979 a 1982. Vice- Presidente da Câmara Municipal de Loulé de 1982 a 1985. Dirigente desportivo de vários clubes e associações à escala regional e nacional. Ex-colaborador de vários órgãos de Comunicação Social.

    Foi Governador Civil de Faro.

  • José Mendes Bota (1983-85)

     

    Cargos exercidos:

    • Vice- Presidente do Conselho Fiscal da ANMP.
    • Deputado à Ar (III à IV Legislaturas) e ao Parlamento Europeu.
    • Deputado à Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa
    • Presidente da Câmara Municipal de Loulé 1983-1985.
    • Presidente do Intergrupo Turismo Parlamento Europeu
    • Vice-Presidente do Congresso da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP)
    • Presidente da Associação de Ciclismo do Algarve
    • Vice-Presidente da Assembleia Paritária ACP/CE
    • Presidente da Comissão política Distrital do PSD/ Algarve
    • Presidente da Assembleia Municipal de Loulé (1986-1994 e 1994-1997)

    Títulos Académicos e Científicos:

    • Sócio de Mérito do Sporting Clube Farense (1989)
    • Prémio do Prof. Cabrita da Silva(1965)
    • Prémio “Mensagem para a Europa” (1992)
    • Membro Honorário da Associação de Beneficência Algarve (EUA) (1992)

    Comissões Parlamentares a que pertence:

    • Comissão de Assuntos Económicos, Inovação e Desenvolvimento Regional
    • Comissão de Poder Local, Ambiente e Ordenamento do Território

    Obras Publicadas:

    • “Poder Local” (1986)
    • “Triângulos do Desespero”, poesia (1987)
    • “Vencer na Europa, Aproximar o País” (1990)
    • “Dez Anos de Intervenção” (1990)
    • “Raiz de Lado Nenhum”, poesia (1992)
    • “Por um Portugal mais Justo e Solidário (1992)
    • “Uma Voz do Sul na Europa” (1994)
  • Júlio Cristóvão Mealha (1980-82)

     

     

    Frequentou o curso liceal do Liceu Nacional de Faro, concluído o qual entrou na Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra onde fez os preparatórios de Engenharia, após o que iniciou e concluiu o Curso de Engenharia Electrotécnica, na Faculdade de Engenharia do porto.

    Findo o serviço militar, leccionou simultaneamente na Escola Industrial e Comercial de Faro e no Colégio Farense. Com a abertura da Escola Industrial e Comercial de Loulé, passou a ministrar, as disciplinas técnicas dos Cursos de Electricidade e Electromecânico.

    Nos Anos de 1969 e 1970, ocupa o lugar de Vice-Presidente, em exercício, da Câmara Municipal de Loulé.

    No ano lectivo de 1976/77, fez o estágio pedagógico na Escola Afonso Domingues, em Lisboa, e no ano seguinte passou a professor efectivo do 2º Grupo B (Electrotecnia), na escola Secundária de Loulé.

    Em 1979, como cabeça de lista do Partido Popular Democrático é  eleito Presidente da Câmara Municipal de Loulé, facto que leva Júlio Cristóvão a interromper, de novo, o ensino durante o triénio de 1980 a 1982.

    Nas eleições autarquias seguintes, assume a Presidência da Assembleia Geral da Câmara Municipal de Loulé, cargo que desempenhou no período de 1983 a 1985.

    Foi sócio fundador do Rotary Clube de Loulé, tendo presidido no seu Conselho Director no ano rotário de1983/ 84.

    Na área do desporto, foi um entusiasta, amante e praticante de grandes méritos, da modalidade de Ténis de Mesa. Como jogador federado representou o Centro Universitário do Porto e o Louletano Desportos Clube.

    Integrou a comissão organizadora da Associação de Ténis de Mesa de Faro. Em 1990 e já sob a nova designação de Associação de Ténis de Mesa do Algarve, Júlio Cristóvão Mealha foi eleito Presidente da Assembleia Geral.

    Em 1990 foi agraciado com o título honorífico de Sócio de Mérito desta Associação.

    Em 1998 foi agraciado com a medalha grau ouro pela Câmara Municipal de Loulé.

  • António Maria Andrade de Sousa (1975-79)

    António Andrade de Sousa interessou-se desde cedo pela política, influenciado pela corrente Republicana e Democrática que sobreviveu ao 28 de Maio, e aprofundou a sua cultura política e filosófica assinando a “República”, a “Seara Nova”, “A Vértice” e muitas outras revistas e jornais locais.

    Sendo naturalmente humanista e um democrata convicto, fez parte daquele punhado de “Bons Louletanos” que lutaram pelos ideais da Democracia e Liberdade. Logo após a “Revolução dos Cravos” fez parte da Comissão Administrativa Municipal então empossada e foi o primeiro Presidente da Câmara Municipal de Loulé eleito por sufrágio Universal, nas listas do Partido Socialista em que filiou por fidelidade aos princípios Socialistas e Democráticos.

  • João Barros Madeira (1974-75)
    João Barros Madeira

    João Barros Madeira nasceu em Loulé em 1934, filho de David Mendes Madeira e de Joana d' Aragão Barros. Frequentou a escola Conde Ferreira e depois o liceu João de Deus, em Faro, onde fez o ensino secundário. Licenciou-se em Medicina na Universidade de Coimbra. Durante a vida académica, na década de 60, em tempos de grande agitação estudantil (na qual participou ativamente), foi dirigente do Orfeão e da Tuna, e também da Associação Académica. Dotado de uma boa voz, gravou ainda alguns discos de fados. Iniciou a sua vida profissional em Loulé, em 1962, no Hospital da Misericórdia. Exerceu também a medicina privada e mais tarde trabalhou no Centro de Saúde, onde foi Director. Foi Presidente da Câmara de Loulé em 1974 no período de transição para a democracia. Foi ainda membro do Conselho de Administração da Administração Regional de Saúde do Algarve, e terminou a sua carreira profissional como Director do Hospital de Faro. Enquanto cidadão foi Presidente do Louletano por duas vezes e durante vários anos presidiu à comissão organizadora do Carnaval de Loulé. Foi também presidente da Comissão Columbófila do Distrito de Faro, sócio nº1 e fundador da Sociedade Columbófila Louletana, vice-presidente da Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Columbofilia, tendo sido ainda o primeiro português a ocupar um cargo na vice-presidência da Federação Columbófila Internacional.

  • Manuel Lourenço Teixeira Faísca (1973-74)

    Manuel Lourenço Teixeira Faísca nasceu na freguesia de S. Clemente em 31 de Janeiro de 1929.

    Fez o ensino primário na Escola Conde Ferreira em Loulé, frequentou o Liceu Nacional de Faro e concluiu o curso de Engenharia de Minas no I.S.T. em 1958.

    O Eng. Manuel Lourenço Teixeira Faísca exerceu a profissão em Angola nos Serviços de Geologia e Minas e na Companhia do Manganês de Angola, no início dos anos 60. Passou ainda pela Beralt Tin & Volfram (Minas da Panasqueira) de 1966 a 1969, pelas Minas do Lousal de 1969 a 1971 e pelos Caminhos-de-Ferro Portugueses de 1971 a 1973.

    Ocupou o cargo de Presidente da Câmara Municipal de Loulé entre 19 de Abril de 1973 e Maio de 1974.

    Durante o seu mandato debateu-se a definição das freguesias de Almancil, do Concelho de Loulé, e de Santa Bárbara de Nexe e S. Pedro, do Conselho de Faro. Em Quarteira e Vilamoura realizaram-se projectos de urbanização e de infra-estruturas e, em Loulé, iniciou-se o plano de urbanização e de expansão Nordeste. 

    Faleceu a 26 de Setembro de 2009.

  • António Américo Lopes Serra (1969-72)

    António Américo Lopes Serra nasceu em Lourenço Marques, Moçambique, em 21 de Julho de 1934.

    Foi Governador Civil do Distrito de Faro, primeiro como interino e depois como efectivo, tendo tomado posse a 22 de Fevereiro de 1973.

    Licenciou-se em Engenharia, especialidade de minas, pelo Instituto Superior Técnico de Lisboa, em 1961.

    Na área da Administração Pública, além de Governador Civil do Distrito de Faro, Lopes Serra foi Presidente da Câmara Municipal de Loulé, no período compreendido entre 1969 e 1972. Nos primeiros anos do seu mandato aprovaram-se as reparações no edifício dos Paços do Concelho, alargou-se a rede de energia eléctrica em Vilamoura e remodelou-se a da zona norte da Vila de Loulé. De salientar também a entrada em funcionamento dos sistemas telefónicos de Alte e Salir, a reparação e construção de ruas e arruamentos em Loulé e Quarteira e o surgimento de vários projectos particulares, como o Porto de Recreio e o Casino provisório em Vilamoura e a construção de uma fábrica de cimento em Loulé, localizada no Cerro da Cabeça Alta, freguesia de S. Sebastião.

    Em 1972, após deixar a Presidência da Câmara, Lopes Serra foi nomeado Governador Civil substituto de Manuel Sanches Inglês Esquível e, em Fevereiro de 1973, foi nomeado Governador Civil.

    Mais tarde seria ainda Vereador da Câmara Municipal de Loulé, sob a Presidência do Prof. Joaquim Vairinhos.

    Dedicou-se depois à actividade comercial e turística
  • Eduardo Delgado Pinto (1965-69)

     

    Eduardo Delgado Pinto nasceu em 1918.

    Director da Farmácia Pinto durante 30 anos, a primeira sessão que preside enquanto Presidente da Câmara Municipal de Loulé data de 10 de Março de 1965. Continuando a obra do seu antecessor, José João de Ascensão Pablos, promove a beneficiação das fontes públicas, a construção de casas para magistrados e a construção da rede de esgotos de Quarteira. Saliente-se também a reparação de arruamentos nas sedes das freguesias, a aprovação do projecto da Pousada de Juventude em Quarteira, a electrificação da Ponte de Salir, a construção de lavadouros públicos em S. Clemente e Alte, o projecto de abastecimento de água em Vilamoura, etc.

    A última sessão que assinou data de 24 de Fevereiro de 1969.

    Faleceu em Faro no dia 8 de Outubro de 1976.

  • Francisco Guerreiro Barros (1960-61)

     


    Francisco Guerreiro Barros nasceu em Loulé em 1993.

    Fez na sua terra natal e no Seminário de São José, de Faro, os primeiros estudos. Abandona a vida eclesiástica, pelo advento da República, e matricula-se na Escola Primária Superior e na Escola do Magistério Primário da mesma cidade.

    Dedicou-se ao comércio de frutos secos, ligado a uma importante firma louletano-farense.

    Entretanto foi nomeado chefe da Secretaria do Liceu de Faro, em 1927, funções que exerceu durante alguns anos.

    Foi igualmente vereador, vice-presidente e presidente da Câmara Municipal de Faro, presidente da Câmara Municipal de Loulé, membro da Direcção da Caixa de Providência e Abano de Família do Distrito de Faro, presidente do Rotary Clube de Faro e Presidente da Direcção do Grémio dos Exportadores de Frutos e Produtos Hortícolas do Algarve.

    Colaborador assíduo da imprensa regional, cujos artigos abordam temas de cariz económico.

    Terá tomado posse como Presidente da Câmara Municipal de Loulé no decurso do ano de 1959, sendo que surge como tal em documentação de 9 de Junho de 1960. Durante a sua presidência instala-se definitivamente a Biblioteca Municipal com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, no edifício dos Paços do Concelho. É dada continuidade ao trabalho no plano educacional, de construções de escolas e cursos nocturnos para adultos e de estudo de localização da Escola Industrial e Comercial de Faro.

    Francisco Guerreiro Barros morreu em Faro no ano de 1974.

  • José João Ascensão Pablos (1957-59; 1961-65)


    José João Ascensão Pablos nasceu na Freguesia de S. Clemente em 15 de Agosto de 1910.

    A 7 de Abril de 1956 tomou posse como Vice-Presidente da Câmara Municipal de Loulé. Foi nomeado Presidente da referida edilidade a 4 de Setembro de 1957, cargo que exerceu até 2 de Janeiro de 1959.

    A sua acção enquanto Presidente incidiu na continuação do projecto educativo dos cursos nocturnos, na electrificação das povoações do Concelho e da Av. José da Costa Mealha, na construção de uma lavadouro público em Quarteira e no inicio da 2.ª fase da construção do Parque Municipal.

    Depois de um interregno, em que fora Presidente do Município Francisco Guerreiro Barros, nas “Actas de Vereação” de 12 de Abril de 1962, o nome de José João Ascensão Pablos volta a surgir como Presidente, não sendo no entanto possível datar a  1.ª sessão a que presidiu. Neste segundo mandato destacam-se as seguintes iniciativas: a beneficiação de fontes públicas, a aprovação do Parque de Turismo de Quarteira, a ampliação do cemitério, a reparação do Mercado Municipal de Loulé dotando o mesmo de mais bancas, o projecto da rede de esgotos de Quarteira, o estabelecimento do Mercado mensal em Boliqueime, entre outras. Este segundo mandato terminou em 1965.

    José João Ascensão Pablos faleceu em Loulé a 06 de Agosto de 1974.

  • Maurício Serafim Monteiro (1956-57)

    Oficial do Registo Civil, foi nomeado Presidente pelo Governador Civil no dia 11 do mês de Fevereiro de 1956. Apesar de uma curta passagem pela presidência (até 29 de Novembro de 1956), a sua comissão tomou algumas iniciativas: projecto de criação de uma Biblioteca Popular e Museu Municipal, projecto de uma Escola de Ensino Técnico, arborização das cercas anexas às Escolas Oficiais do Concelho e propriedade municipal, inauguração da obra de "Abastecimento de Águas a Quarteira", a construção de um edifício destinado à cantina escolar e a continuação do trabalho iniciado pelos seus antecessores no que diz respeito à instalação de cursos nocturnos para adultos.

  • Aires de Lemos Tavares (1946-51)

    Iniciou as suas funções como Presidente a 11 de Fevereiro de 1946 e a última sessão a que presidiu data de 5 de Setembro de 1951. As medidas implementadas nestes 5 anos foram a construção de raiz de várias escolas espalhadas pelo Concelho, o abastecimento de água a Querença e Quarteira, a electrificação de várias freguesias, a reparação de caminhos, poços e fontes, pavimentação de estradas, a criação de uma nova Feira, designada Feira Franca, a concessão de um plano de urbanização de Loulé, a construção de bairros de casas para pobres, a criação de uma escola comercial e industrial, a arborização da Avenida General Carmona (actual 25 de Abril), a mudança do nome de várias ruas da vila e a fixação das feiras e mercados de todo o Concelho de Loulé. Foi também durante este período que o Concelho ficou delimitado em relação ao Concelho de Almodôvar pelo Instituto Geográfico e Cadastral, e que se deu a elevação do Concelho à "Primeira Ordem".

  • José da Costa Guerreiro (1935-45; 1951-56)

     

    Surge como Presidente da Comissão Administrativa nomeado a 23 de Outubro de 1935. Durante a sua longa presidência (de dez anos e alguns meses) várias foram as iniciativas políticas a destacar, entre elas a ampliação do Cemitério Municipal, a solicitação de uma Escola de Artes e Ofícios, a criação de um Centro de Saúde, a revisão dos vencimentos do pessoal do quadro e a regulação dos horários dos estabelecimentos de venda ao público. Verificou-se o desenvolvimento da vila e das regiões costeiras, especialmente Quarteira. Aprovou-se ainda, o regulamento da Corporação de Bombeiros de Loulé e procedeu-se à classificação da Igreja Paroquial de Almancil como Monumento Nacional. No Salão Nobre, em 7 de Abril de 1937, procedeu-se à apresentação das fotos oficiais de Marçal Pacheco e José Mendes Cabeçadas Júnior. Na decorrência das suas funções, José da Costa Guerreiro foi substituído por José Cláudio da Silva Mendes, em Março de 1938, e anunciou o seu afastamento em 25 de Janeiro de 1945. Como reconhecimento do mérito e do trabalho que realizou para o desenvolvimento do Concelho de Loulé, foi agraciado com as insígnias de Oficial da Ordem de Cristo (sessão de 30 de Dezembro de 1946).

    Começou, como Vereador, a servir o Presidente da Câmara a 12 de Setembro de 1951, e surge na acta de 20 de Novembro desse mesmo ano como Presidente da Câmara. Mais uma vez à frente dos destinos do Concelho, de entre as obras projectadas e inauguradas no seu tempo destacam-se a classificação de "imóvel de interesse público" dada à Capela de Nossa Senhora da Conceição, a construção, iluminação e inauguração do Monumento em homenagem a Duarte Pacheco e a inauguração do Monumento ao Doutor Cândido Guerreiro, em Alte. A nível da educação é de referir os cursos nocturnos para adultos em povoações do Concelho. Com o aumento do tráfego rodoviário surgem medidas que o regulamentam, tanto em Loulé como em Quarteira, e procedeu-se à construção de uma Estação de Camionagem. Foi construído um bairro de casas económicas. A última sessão a que presidiu ocorreu a 5 de Janeiro de 1956.

  • Manuel Sousa Rosal Júnior (1934-35)

    Em 26 de Novembro de 1934 constitui-se nova Comissão Administrativa Concelhia, tendo como Presidente o Tenente Rosal Júnior. Promoveu-se a criação de Postos de Ensino, o aumento da potência geradora da Central Eléctrica, a edificação da cadeia nova, a reparação das ruas da vila, a ampliação da rede de águas, o alargamento do Cemitério Municipal e a abertura de mais esgotos na vila. Oficialmente, o fim desta Comissão Administrativa aconteceu em 9 de Outubro de 1935, já com o Dr. Quirino dos Santos Mealha a substituir o Tenente Rosal Júnior. Servindo como Presidente da Comissão Administrativa ficou o vogal mais velho, João Caetano de Sousa Leal, por decisão de 16 de Outubro de 1935.

  • Artur Baptista Sequeira (1933-34)
    Artur Baptispa Sequeira Nomeado Presidente do Concelho Administrativo em 9 de Outubro de 1933. Neste ano, o relógio antigo da Torre da Vila foi cedido à freguesia do Ameixial. Foi também o ano em que veio residir para Loulé o Dr. Aires de Lemos Tavares, natural do Concelho de Gavião (Portalegre), para ocupar o cargo de Inspector Municipal de sanidade Pecuária. A última sessão que presidiu data de 21 de Novembro de 1934, tendo a comissão que presidia apresentado demissão logo no dia 24 por se considerar lesada por um grupo de cidadãos politicamente hostis ao funcionamento da mesma.
  • Manuel Guerreiro Pereira (1931)

    Presidente a partir de 16 de Maio de 1931. A última sessão camarária que presidiu data de 12 de Março de 1932. Neste mandato, a Câmara colaborou monetariamente na realização de um filme sobre o Algarve e as suas potencialidades turísticas. Em Julho de 1931 a falta de água constituiu um grave problema no Concelho. A criação de Pontos de Ensino foi outra das principais acções durante a vigência desta Câmara.

  • Francisco José Faísca Teixeira (1930)

    Presidente a partir de 14 de Abril de 1930. A última sessão que presidiu data de 29 de Outubro de 1930. De salientar, neste curto tempo de actividade, a inauguração do monumento ao Dr. Athaíde Oliveira, no dia 10 de Agosto, no então Largo da Liberdade, actual Largo de S. Francisco.

  • José Cláudio da Silva Mendes (1928-30; 1930-31)

    Tomou posse em 20 de Junho de 1928. A criação de "Escolas Móveis" foi a sua prioridade. Foi solicitado ao engenheiro Manuel Alves Costa um projecto e orçamento para o lavadouro municipal e um estudo e projecto de organização do plano geral da rede de esgotos da vila. Aprovou-se o alvitre apresentado nos jornais de Lisboa por Mário Lyster Franco acerca de um busto de Francisco Xavier de Athaíde Oliveira.

    Foi eleito Presidente em sessão camarária de 8 de Novembro de 1930. Nesta fase de governação concelhia adaptou-se uma dependência do Matadouro Municipal para laboratório de análise e inspecção do leite que era vendido à população.

  • José Joaquim Soares (1927-28; 1933)
    Jose Joaquim Soares

    Presidiu aos destinos do Concelho de 6 de Junho de 1927 a Junho de 1928. Aprovou a ampliação da central eléctrica de Loulé e a criação de uma feira anual no povo e freguesia de Salir, a qual se realizaria no dia 25 de Janeiro.

    Tomou posse como presidente em 18 de Março de 1932. Durante o seu mandato adjudicou-se ao estucador António Alves Cavada o estuque da Sala das Sessões de Câmara (o tecto, as sobre-portas, o lambrim e os arranjos necessários), pelo preço de 2750$00, e ainda, adquiriu-se um lustre, reposteiros e mobília. Adjudicou-se também, à "Fotografia Inglesa de Lisboa, J. e M. Mazares" "o fornecimento de três retratos, a saber: Presidente da República, Ministro da República e Ministro das Obras Públicas e Telecomunicações, nas dimensões de 60x90 cm, com moldura, tudo pela quantia de 1555$00. A última sessão presidida por José Joaquim Soares data de 6 de Outubro de 1933.

  • Manuel de Sousa Euzébio (1923-26)
    Manuel de Sousa Euzébio Presidente da Câmara de 2 de Janeiro de 1923 a 31 de Dezembro de 1925 e, ainda, de 2 de Janeiro a 24 de Junho de 1926. Durante os seus mandatos, o registo da fiscalização dos preços dos produtos vendidos no mercado consta maioritariamente entre os temas abordados em sessões de Câmara.
  • Joaquim Cândido da Franca Leal (1919)

    Presidente da 7ª Comissão Municipal Administrativa que vigorou de 16 de Julho de 1919 a 25 de Julho desse mesmo ano. Coube a este Presidente o pelouro dos Serviços de Secretaria e instrução.

  • José Bernardo Lopes e Francisco de Sousa Faísca (1918)

    Bernardo Lopes foi convidado a presidir à 5ª Comissão Municipal Administrativa oito anos após ter chegado a Loulé (30 de Março de 1918 a 12 de Março de 1919). Não foi elemento participativo nas sessões porque, como médico, havia que prestar assistência na saúde aos que padeciam da pneumónica. Em 19 de Agosto de 1918, Francisco de Sousa Faísca tomou posse em sua substituição, embora por pouco tempo.

  • Mariano da Costa Ascensão (1918-19)
    Mariano da Costa Ascenção Liderou a Câmara apenas de 2 a 10 de Janeiro de 1918 porque o Decreto nº3738 de 10 de Janeiro de 1918 mandava que os Governadores Civis nomeassem Comissões em substituição das Câmaras Municipais.
  • António Martins Sancho (1914-17)
    Presidente da primeira Câmara Republicana eleita, dirigiu o Concelho de 2 de Janeiro de 1914 a 31 de Dezembro de 1917. A Saúde Pública e Sanitária foram uma preocupação constante. Construíram-se retretes públicas e arrematou-se em hasta pública a construção da futura central eléctrica.
  • Francisco Xavier Cândido Guerreiro (1912-13; 1918; 1919-22)

    Presidente da Comissão Administrativa de 12 de Fevereiro de 1912 a 31 de Dezembro de 1913. A toponímia da vila foi alterada, predominando agora nomes ilustres da República. A Rua da Praça passou a denominar-se Praça da República. Como Presidente da Comissão Municipal Administrativa e Administrador do Concelho aprovou a organização dos festejos religiosos da Nossa Senhora da Piedade, em Março de 1912, em prol da aspiração da população do Concelho.

    Presidente da Comissão Administrativa de 18 de Janeiro a 25 de Março de 1918). Por Edital ficou definido que as sessões camarárias se passariam a realizar às quartas-feiras, na Sala Principal dos Paços do Concelho.

    Foi eleito pelas 3ªs Eleições Autárquicas que decorreram a 25 de Maio de 1919. Tomou posse em 25 de Julho de 1919 e desempenhou funções até 31 de Dezembro de 1922. A passagem de Cândido Guerreiro pela Câmara de Loulé ficou envolta em algumas polémicas partidárias mas também em projectos estruturais com vista ao progresso.

  • Luís de Sousa Faísca (1911-12)
    Luis Faisca Presidente da Comissão Administrativa de 10 de Maio de 1911 a 10 de Fevereiro de 1912. No seu mandato regista-se a preocupação com a alfabetização da população, através da criação de escolas do ensino primário. Regulamentou-se o descanso semanal por edital de 18 de Agosto de 1911.
  • José da Costa Ascensão (1910-11)

    O ideário republicano, subscrito por nomes ilustres do Concelho, promovia o progresso científico, social e urbanístico que, em Loulé, se reflectiu especialmente na abertura de avenidas e na promoção da saúde pública.

AGENDA

Publicações