Município de Loulé - Câmara Municipal de Loulé

Iniciativas

banner_movel2logo_cine-teatromedbotao_-_25abrilCIDADE_EDUCADORAop14CEDpromo_1

Gabinete de Apoio à Família SAF

O Serviço de Apoio à Família – SAF funciona num espaço gratuito que privilegia e possibilita o Acompanhamento Familiar nas mais diversas áreas, nomeadamente apoia famílias que são encaminhadas por instituições que intervêm na área da Infância e da Juventude, tendo um papel preventivo e interventivo ao nível das problemáticas vivenciais das crianças/jovens (dos 5 aos 17 anos) e da dinâmica familiar.

A nível interventivo o SAF realiza trabalho terapêutico direccionado a crianças e jovens efectuando avaliação psicológica e acompanhamento psicológico e a grupos (competências pessoais e sociais, nomeadamente o espírito de equipa; o saber escutar; saber estar; saber ser; a liderança; o respeito pelo outro; a autonomia; o auto-controle; auto-estima; auto-conceito; a assertividade e a responsabilidade); actua na família com o intuito de encontrar estratégias positivas conjuntas na resolução das problemáticas existentes. Desenvolve um trabalho sistémico que envolve pais, educadores, professores e comunidade em geral. O SAF dinamiza também Programas de Competências Parentais.

A nível preventivo o SAF desenvolve o seu trabalho na concepção de Actividades Lúdico Pedagógicas. Passeio Pedestre Rocha da Pena; Visita ao Quartel dos Bombeiros Municipais de Loulé; Visita ao Pavilhão do Conhecimento; Visita ao Oceanário; Visita à Quinta do Peral; Capoeira; Clube Náutico; Centro Hípico; Acampamento; Ateliers de Verão (“Os Labirintos”; “Oleiros de Palmo e Meio”; “Era Uma Vez Uma Folha em Branco”; “O Faísca”); Jornalinho do SAF; FlashMob.

O SAF pretende que as Actividades Lúdico Pedagógicas sejam uma extensão das estratégias utilizadas em contexto terapêutico e que proporcionem às crianças/jovens experiências enriquecedoras que contribuam para um crescimento saudável e adaptado. Estas possibilitam aos jovens vivenciar hábitos saudáveis, aprofundar o espírito de equipa, libertar tensões nervosas, conviver entre si, enriquecer as suas experiências de vida, aumentar a sua capacidade de auto-reconhecimento, de resiliência, sentido de responsabilidade, autonomia, assim como crescimento intelectual e cognitivo.

Através do “Jornalinho do SAF”, o SAF pretende dar a conhecer um pouco do trabalho desenvolvido por este serviço relatado na primeira pessoa, ou seja, pelas crianças e jovens acompanhados pelo gabinete. O Jornalinho é um instrumento que possibilita trabalhar um determinado conteúdo, com a finalidade de facilitar o conhecimento, o desenvolvimento intelectual e cognitivo. Pretende favorecer a interacção dos jovens com a realidade social, colocando-os a reflectir sobre temas da actualidade, tornando-os seres mais activos e consequentemente mais participativos na realidade social. Possibilita a expressão de ideias, sentimentos e opiniões, assim como, o acesso a informação sobre vários assuntos e de diferentes géneros textuais. Pretende desenvolver o senso moral, emitir ideias e opiniões sobre diversos assuntos; compreender textos; ampliar vocabulário; expressar através da linguagem corporal e oral; identificar os diversos géneros textuais que circulam socialmente, suas funcionalidades e estruturas; descodificar palavras; ler fluentemente; incentivar o trabalho cooperativo.

As problemáticas acompanhadas pelo SAF mais frequentes são as dificuldades de aprendizagem; défice de motivação; défice de atenção e concentração; hiperactividade; défice cognitivo; insucesso escolar; abandono escolar; problemas emocionais; problemas comportamentais; dificuldades em perceber e/ou lidar com a sexualidade; défice de competências pessoais e sociais; défice de competências parentais.

O SAF faz um balanço positivo relativamente ao serviço dedicado à comunidade, durante toda a sua existência, em especial o ano de 2010. As Técnicas - Hermínia Martins e Liliana Cavaco -, têm plena consciência de que ainda há muito a fazer na área psicossocial, apesar do trabalho desenvolvido ser cada vez mais diversificado e abrangente. Trata-se de um serviço específico em que se ultrapassa as barreiras do registo dito “normal” do Psicólogo. De acordo com a população com que se trabalha e do ponto de vista pessoal, “Ser Psicóloga” é ser confidente, ouvinte, amiga e por vezes até mãe. É usar o dom da palavra, o poder do olhar, a influência das expressões. É auxiliar o outro a colocar para fora o que de bom existe no seu interior. É cuidar, fortalecer, compreender e aliviar…

AGENDA

Publicações