Site Autárquico Loulé

Quarteirenses de Mérito distinguidos no 13º aniversário da cidade

Quarteirenses de Mérito distinguidos no 13º aniversário da cidade

Cultura

14 de maio de 2012

Jovem licenciado apresentou tese sobre topónimo de Quarteira

Realizou-se ontem a cerimónia de entrega de prémios de Reconhecimento do Mérito Escolar, Empresarial e Profissional de Cidadãos e Entidades da Freguesia de Quarteira, iniciativa que marcou o 13º aniversário de elevação de Quarteira a cidade.

 

Com o objetivo de agraciar aqueles se distinguiram nas áreas da Educação, Desporto e Economia, esta cerimónia pretendeu ser uma homenagem pública a quem deu o seu contributo para elevar o nome de Quarteira.

 

Milton Mateus, aluno que concluiu o 2º ciclo de ensino na Escola D. Dinis, com a nota máxima em todas as disciplinas, e Bruno Pedroso, que concluiu o secundário na Escola Drª Laura Ayres, atualmente a frequentar o Curso de Medicina em Lisboa, foram os dois distinguidos na área da Educação.

 

Já o golfista Ricardo Santos, desde muito cedo ligado à modalidade, vencedor do campeonato nacional de sub-18 em 1998, profissional desde 2006, foi o distinguido na área do Desporto.

 

No âmbito empresarial, receberam este prémio de excelência a Aviludo, empresa de distribuição de produtos frescos que tem a sua sede em Quarteira desde 1984 e que emprega mais de 524 colaboradores, e o Aquashow, um dos maiores parques aquáticos do país, com 10 anos de crescimento sustentado.

 

Quanto a estas distinções, o presidente da Autarquia de Loulé, Seruca Emídio, salientou a importância de reconhecer, por um lado, os alunos, “numa altura em que o ensino vive tempos difíceis”, e por outro lado, os empresários que, com muito sacrifício, não desistiram de investir e manter-se no Concelho. “Os quarteirenses vão-se afirmando cada vez mais. E o mais importante é que estas pessoas concluem os seus cursos mas depois continuam a ajudar a sua terra”, frisou.

 

Já o presidente da Junta de Freguesia reportou-se a esta “homenagem simbólica” como um estímulo para a continuação do trabalho destes alunos. Quanto às empresas Aviludo e Aquashow, José Coelho Mendes salientou o facto de dignificarem o nome de Quarteira. “Eram empresas que estavam no fundo mas estas pessoas, simples, conseguiram levantá-las, criando postos de trabalho, dinamizando a nossa economia e a nossa freguesia”, disse ainda.

 

Jovem quarteirense apresentou livro

 

João Carlos Santos, jovem quarteirense, pescador, recém-licenciado em Património Cultural pela Universidade do Algarve e, acima de tudo, um apaixonado pela terra que o viu nasceu, juntou-se à festa do 13º aniversário de Quarteira para apresentar o livro “Quarteira, o Topónimo e a Povoação dos Séculos XIII ao XIX”, no âmbito da sua tese de licenciatura.

 

Este momento contou com a presença de Rosa Mendes, docente da Universidade do Algarve e um dos responsáveis pelo curso de Património Cultural e que falou sobre o percurso académico deste jovem. “O João Carlos Santos é um quarteirense de gema e desde o primeiro dia de aulas fez questão de o afirmar. Foi um excelente aluno, em condições difíceis, já que é filho de um pescador e ele próprio é pescador. Manifestou a vontade de fazer uma tese de licenciatura acerca de Quarteira que está consubstanciada neste livro. O mérito é todo dele”, disse este professor.

 

O livro é um ensaio sobre a origem do topónimo Quarteira, desde sempre referido como remontando ao período romano e à antiga Carteia, teoria que João Carlos Santos vem contrariar, nomeadamente com as referências a “Quarteyra” no Foral de Loulé, em 1266.