Município de Loulé - Câmara Municipal de Loulé

Iniciativas

banner_movel2logo_cine-teatromedbotao_-_25abrilCIDADE_EDUCADORAop14CED

"D. Diogo da Gama, Subsídios para uma biografia" apresentado no Arquivo Municipal de Loulé

'D. Diogo da Gama, Subsídios para uma biografia' apresentado no Arquivo Municipal de Loulé

18 de Março

Ler Artigo

No próximo sábado, 23 de março, pelas 15h00, vai ser apresentado no Arquivo Municipal de Loulé o livro "D. Diogo da Gama, Subsídios para uma biografia", sobre o Prior da Ordem de Cristo, da autoria de Ivone Alves, Jorge Custódio e Margarida Marques 

 

 «Talvez possamos fazer um outro exercício de ‘reconhecimento’, juntando o duque de Beja e rei D. Manuel (1469-1521), o Descobridor e conde-almirante, D. Vasco da Gama (1468/9-1524), o D. Prior, D. Diogo da Gama (1460/70-1523). Sensivelmente da mesma geração, conheceram-se, estabeleceram relações de trabalho e vassalagem, também familiares, talvez de amizade quem sabe. Três crianças que poderão ter brincado juntas; três jovens que se terão cruzado; três homens de destinos diversos, mas dos quais temos notícia apenas através do rei que neles confia e lhes atribui alguns cargos de responsabilidade.

 

Cai o pano sobre o teatro das suas vidas, do diálogo entre irmãos, ou das razões da sua inexistência, nada ficou registado. Temos ‘retratos’ do rei e do descobridor, por pouco fidedignos que sejam. Podemos imaginá-los para além e para aquém de toda a informação recolhida. Também temos documentos ‘emanados por’ ou que se lhes referem.

 

Destes três jovens, que talvez tenham crescido juntos; destes três homens que trabalharam em simultâneo e em separado na mesma época; destas três figuras públicas que morreram uma após outra, em curtos intervalos e em locais bem diversos; O Rei, a 13 de dezembro de 1521, em Lisboa, Paço da Ribeira. O Prior, a 25 de janeiro de 1523, em Tomar, Convento de Cristo; O Descobridor, a 24 de dezembro de 1524, em Cochim, Estado Português da Índia.»

 

Os autores

 

Ivone Correia Alves é natural do Funchal. Licenciada em História, mestre em História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa, pós-graduada em Ciências Documentais (opção Bibliotecas e Centros de Documentação) pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Tem desenvolvido diversos trabalhos de investigação, nomeadamente no âmbito da História dos Descobrimentos.

 

Margarida Marques nasceu em Coimbra. Licenciou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Tinha concluído, anteriormente, o curso de Tradutor-Intérprete do Instituto Superior de Línguas e Administração de Lisboa. Durante 38 anos trabalhou numa empresa multinacional de informática, onde a sua atividade profissional se desenvolveu na área das Tecnologias da Informação. Após a reforma tem-se dedicado à investigação histórica.

 

O historiador e museólogo Jorge Custódio é especialista em arqueologia industrial. Natural de Santarém, coordenou a candidatura da cidade a património mundial na década de 90, é quadro superior do Instituto de Gestão do Património Arquitetónico e Arqueológico. No seu currículo, destaque para a passagem pela direção do Convento de Cristo, em Tomar, entre 2002 e 2007. Trabalhou nos projetos do Museu dos Lanifícios na Covilhã, do Museu da ”Fábrica de Cortiça do Inglês”, em Silves, coordenou a montagem do Museu do Cimento de Maceira-Liz e o projeto do Museu do Tempo em Santarém, instalado na Torre das Cabaças.

AGENDA

Publicações