Site Autárquico Loulé

Boas Práticas para conservação de edifícios

PORQUE CONSERVAR E REABILITAR A CIDADE COMPETE A TODOS


CONSERVAR: porquê, para quê e para quem?

Simplesmente PORQUE o património é a base do desenvolvimento; PORQUE reflecte uma necessidade superior que é a efectiva valorização da qualidade de vida dos habitantes; PORQUE a sua destruição delapida a identidade.

PARA QUE se preserve a memória colectiva de uma comunidade; PARA QUE se mantenham os valores do património; PARA QUE, prevendo e organizando, conservando e recuperando, possamos usufruir de uma cidade planeada e sustentável no futuro.

Em solidariedade com as SOCIEDADES FUTURAS, a cidade manter-se-á  com menor custo e beneficiará de um capital responsável e de inestimável valor.

  • Documentos para Download

    Documentos para Download

  • CHAMINÉS

    Consolide e preserve a chaminé existente;

    Não sendo possível a sua recuperação reproduza o funcionamento, a forma, a dimensão da chaminé tradicional e recrie o seu rendilhado típico;

    Não utilize chaminés pré-compradas;

  • COBERTURAS

    Mantenha as formas dos telhados, a harmonia da cor e a forma das telhas antigas (telha de canudo, rosa-amarelado);

    Preserve e restaure os beirados duplos, as cornijas e as platibandas;

    Para revestimento de açoteias ou terraços, utilize o ladrilho cerâmico tradicional;

  • ELEMENTOS EM FERRO

    Recupere as grades em varandas, postigos, puxadores, trincos e em espelhos de fechaduras em ferro;

    Em renovações não utilize materiais anodizados, prateados ou dourados;

    Não utilize grades com desenhos discordantes de ferro, não utilize outros materiais nem coloque envidraçados;

  • OBSCURECIMENTO DOS VÃOS

    Nas recuperações mantenha  as   portadas interiores com acabamento por pintura;

    Nas renovações utilize portadas interiores de madeira pintadas ou alumínio termo lacado;

    Não utilize nunca estores de caixa exterior, nem portadas exteriores de alumínio;

    Mantenha os estores de esteira de madeira;

  • PORTAS E CAIXILHARIAS

    Nas recuperações mantenha as portas e caixilharias existentes, de madeira pintadas. Em caso de substituição utilize madeira e mantenha o desenho original;

    Nas renovações recupere o tipo e o desenho das existentes

    De preferência pinte as caixilharias de branco e os aros fixos nas cores tradicionais. Em alternativa pode envernizar;

    Não coloque janelas ou portas de correr;

    Não coloque caixilharia ou portas em alumínio anodizado. Utilize a madeira, o alumínio termo lacado ou o PVC de perfil simples, largura e cor integradas no edifício;

    Não utilize vidro espelhado;

  • GUARNECIMENTO DE VÃOS

    Preserve os guarnecimentos de cantaria. Não os pinte ou envernize;

    Em renovações utilize pedra calcária da região. Nunca pedra mármore colocada em cutelo, nem lâminas de mármore ou de outra pedra;

    Em renovações com guarnecimentos de argamassa de cimento à vista, pinte-os;

  • NOVOS ELEMENTOS APOSTOS ÀS FACHADAS

    Se colocar toldos mande-os fazer do tipo recolhível, de tecido tipo lona sem brilho, de tom claro, de uma aba e instalados no interior da moldura do vão;

    Coloque os equipamentos de ar condicionado em traseiras, logradouros ou coberturas não visíveis da rua, ou no interior das varandas ou num vão aberto para esse fim protegido por uma grelha e alinhado com os restantes vãos;

    Os cabos de infra-estruturas eléctricas, telefones ou outras devem ser colocadas em calhas técnicas subterrâneas;

    Mantenha letreiros e anúncios antigos de interesse. A nova publicidade deverá ser sóbria e não deverá colidir com a imagem do edifício;

  • REVESTIMENTO DE PAREDES EXTERIORES

    Revista os paramentos com reboco fino e textura lisa e pinte-a respeitando as combinações de cores naturais;

    Lave e coloque à vista as cantarias, lápides ou outros elementos em pedra, nunca os pinte;

    Conserve e recupere os revestimentos antigos em azulejo;

    Conserve, repare ou restaure os trabalhos decorativos em massa;