Site Autárquico Loulé

Aquisições mês de agosto de 2016

  • ‘Crime na Pensão Estrelinha’, de Fernando Ávila

    Numa iniciativa da Time Out Lisboa, o Crime na Pensão Estrelinha é lançado pela primeira vez em DVD. Uma edição especial que conta com uma entrevista exclusiva a Herman José, onde ele analisa em detalhe o programa que considera ser o melhor de entre todos os que fez, ao longo de 35 anos de carreira.

  • ‘MIB’, de Barry Sonnenfeld

    Os agentes J (Will Smith) e K (Tommy Lee Jones) fazem parte do segredo mais bem guardado do Universo: MIB - Homens de Negro, uma agência governamental que oficialmente não existe e que controla as atividades extraterrestres na Terra. Eles convivem diariamente com uma multidão de divertidos extraterrestres que escolheram a Terra como local de residência, sem que ninguém saiba da sua existência. Enquanto investigam uma série de encontros imediatos não registados, os agentes MIB descobrem uma mortífera conspiração de um terrorista intergaláctico, que prevê a destruição da Terra! A missão de K e J é proteger o mundo da escória do Universo.

  • ‘O novo mundo’, de Terrence Malick

    O lendário realizador Terrence Malick leva-o a uma viagem de descoberta, romântica e recheada de ação, neste épico aclamado pela crítica e nomeado para um Óscar®, passado nos turbulentos primeiros tempos da nova América.

    Baseado num episódio verídico, esta emocionante saga conta a história de Pocahontas (Q'orianka Kilcher) a bela e impetuosa nativa americana cuja relação com o Capitão John Smith (Colin Farrell) desencadeia a batalha por uma nova Nação.

    Interpretado ainda por Christopher Plummer e Christian Bale, este filme inesquecível é "magnífico e épico" - David Ansen, Newsweek.

  • ‘Baratas’, de Jo Nesbø

    Com o zumbido do constante e intenso tráfego rodoviário nos ouvidos, Harry mergulha no submundo de Banguecoque, apinhado de clubes noturnos, templos, antros de ópio e anúncios turísticos, numa investigação que ninguém lhe pediu nem deseja. Nem ele próprio.
    E, uma vez mais, é vítima dos seus próprios instintos.

  • ‘Sala de espera’, de Daniel Sampaio

    Neste novo livro de Daniel Sampaio encontramos algumas respostas para temas dos nossos dias. Algumas questões tratadas para as quais encontrará propostas de solução:
    - Como proceder perante a utilização excessiva dos computadores pelos mais novos. 
    - O que se entende por alienação parental, guarda partilhada e responsabilidades parentais em divórcios litigiosos. 
    - O que são pais tóxicos e como podem os filhos reagir. 
    - O padrasto pode fazer de pai ou não? O livro diz que sim. 
    - Por que razão está tão difícil a relação entre o professor e o aluno nas nossas escolas? Que poderemos melhorar? 
    - Vale a pena ensinar "Os Lusíadas" como se faz agora? 
    - Que atitude tomar perante os jovens que bebem em excesso? 
    - Que fazer com as recordações do Natal da nossa infância? 
    - Vale a pena acreditar na mentira do ranking das escolas? O autor diz que não.

    Se gosta de ler também aqui encontrará críticas a livros de ficção. Se prefere cinema leia também apreciações a filmes recentes. São textos curtos que não o deixarão indiferente.

  • ‘A paixão da Física: do final do arco-íris à fronteira do tempo: uma viagem pelos prodígios da Física’

    Um livro de um professor que domina a arte e a técnica de bem ensinar Física.

    Para quem gosta de Física. Para quem não receia passar a gostar!

    Walter Lewin é um dos professores de Física com mais fãs em todo o mundo. Tudo isso graças aos seus extraordinários vídeos, publicados no YouTube, sobre as aulas de Física Geral que deu no MIT, com experiências que suscitam o espanto dos alunos e, claro, dos espectadores na Internet. Ao longo da sua vida académica de décadas numa das melhores escolas do mundo, Lewin desenvolveu a arte e a técnica de bem ensinar Física. O modo divertido como o faz não dispensa o rigor na apresentação.

    Por exemplo, para comprovar a lei de conservação da energia, coloca-se à beira de um pêndulo gigante, formado por uma bola de demolição de edifícios (se a lei falhasse ele seria a vítima!); para revelar as maravilhas da luz, ensina a fazer arco-íris nos quais se pode tocar; para exibir o fenómeno da eletricidade, sujeita-se a uma descarga elétrica de 300 000 volts, etc.

    A beleza e o poder da física são afinal a beleza e o poder da Natureza que nos rodeia.

    O livro é também um testemunho comovente sobre o modo como uma criança escapou aos nazis para ir conquistar uma cátedra do outro lado do Atlântico.

    A Paixão da Física é um título bem adequado. Lewin gosta mesmo de Física e faz-nos gostar de Física. «Mudou a minha vida» é uma mensagem que recebe com frequência dos seus alunos. Mude a sua vida, tornando-se também um aluno do Professor Lewin.

    «A Paixão da Física retrata o assombroso intelecto de Walter Lewin, a sua paixão pela Física, o seu génio como professor e a sua apreciação pela arte.

    Oxalá este livro atraia mais pessoas para a órbita deste extraordinário educador e cientista.» Bill Gates

  • ‘Mens sana’

    "Mens Sana" é uma coletânea inspirada na loucura e nas fronteiras entre a demência e a sanidade da mente humana, que reúne contos de 8 novos autores. O principal objetivo desta publicação é a sensibilização para as questões da saúde mental e luta contra o estigma que ainda perdura na sociedade civil.

  • ‘Resposta ao jiadismo radical: políticas e estratégias para vencer grupos como a Al-Qaeda ou o Daesh’, de Nuno Lemos Pires

    «O grande mérito do livro de Nuno Lemos Pires é que nos aponta para o bom caminho no combate ao terrorismo.

    Primeiro, entender o fenómeno, na sua raiz histórica e desenvolvimentos recentes, acompanhando o percurso secular da sua evolução no mundo islâmico.

    Segundo, entender que o terrorismo não passa de uma manifestação pervertida e radical da mesma crise de grande envergadura que abarca igualmente o Ocidente, o que é comprovado pelo facto de alguns atos terroristas, como os ocorridos na Noruega há anos, terem uma origem geográfica europeia.

    Terceiro, entender que a solução tem de ser lenta e progressiva, não havendo respostas instantâneas.

    Quarto, entender que a solução não passa necessariamente pelo apoio aos líderes e sistemas tradicionais, porque o terrorismo muitas vezes resulta justamente da crise profunda do sistema tradicional, da forma como as populações se afastam dele.

    Quinto, entender que o combate ao terrorismo pode passar pelo apoio a líderes que têm modelos de governação diferentes dos europeus e dos ocidentais, mas adaptados à sua realidade concreta.

    Sexto, entender que, embora o terrorismo exija uma solução de curto prazo em termos da mudança dos sistemas de defesa e, segurança esta não pode pôr em causa os princípios básicos das sociedades europeias, a sua matriz democrática.

    Sétimo, realçar que a resposta tem de ser global e abrangente, o que passa efetivamente pelo desenvolvimento de uma verdadeira estratégia europeia e não da colagem de banalidades que normalmente recebe esse nome.»

  • ‘Angor’, de Franck Thiliez

    D'où vient ce cauchemar qui la hante depuis sa greffe de cœur?
    Camille, gendarme à Villeneuve-d'Ascq, voit chaque nuit une femme enfermée l'appeler au secours. Un rêve aussi réel qu'un souvenir. Elle n'a dès lors plus qu'une obsession : retrouver l'identité de son donneur. À une centaine de kilomètres de là, Sharko et Henebelle n'ont guère le temps de pouponner leurs jumeaux : une femme, victime d'une longue séquestration, les yeux presque blancs, dépourvus d'iris, a été découverte... sous un arbre. Et leur enquête prend un tournant plus curieux encore lorsque Franck comprend qu'à chaque nouvelle piste, il est devancé par une jeune femme, gendarme dans le Nord...

  • ‘O princípio do verão : vem conhecê-la primeiro!’, de Paco Jiménez

    É verão e Luna Valente acaba de terminar o ano escolar. As férias chegaram e com elas promessas de dias incríveis, tarde intermináveis e novas estradas para patinar todos os dias. Mas isto não é tudo, novos desafios se vão colocar, novas pessoas vai conhecer e muitos sentimentos vão ser postos em jogo. A vida de Luna está prestes a dar uma volta e uma nova aventura espera por ela.

  • ‘Sarilhos na ilha dos pássaros’, de Sarah Stephens

    Alguém vandalizou a estátua do Super Águia!
    Os habitantes da Ilha dos Pássaros ficam em estado de choque.
    A Finch, uma jovem repórter audaciosa, decide descobrir como tudo se passou. Toda a gente aponta a asa para o Red mas será que o pássaro mais zangado é mesmo o verdadeiro culpado?

  • ‘A viagem de Arlo e Spot’, de Carla Teixeira Pinheiro

    Arlo é um jovem dinossauro que vive, tranquilamente, numa quinta com a sua família. Mas um dia cai ao rio e perde-se na imensidão da floresta. Sozinho e triste, Arlo não sabe o que fazer, até que conhece um menino selvagem – Spot – que irá mudar o rumo da sua vida. Não percas a grande aventura do Arlo e do Spot neste livro ilustrado.

  • ‘Zootrópolis: narrativa juvenil’, de Suzanne Francis

    A Judy Hopps é uma agente da polícia 100% honesta, acabadinha de sair da academia. O Nick Wilde, uma raposa espertalhona, vive de artimanhas na cidade de Zootrópolis. Ao contrário do que seria de esperar, sendo eles inimigos naturais, os dois acabam por trabalhar em equipa para desvendar um caso que é afinal um mistério bem maior do que se julgava!

  • ‘Patrulha Pata ao resgate!’

    Sempre que alguém precisar, basta pedir ajuda!

    O Ryder tem 6 cães e treinou-os para formarem a Patrulha Pata. Ajudam os habitantes da Baía da Aventura e resolvem todos os problemas com que se deparam.

    O Marshall, o Chase, a Skye, o Rubble, o Rocky e o Zuma são os valentes cachorros da Patrulha Pata. Com a ajuda do Ryder, a sua missão é velar pela segurança da Baía da Aventura.

  • ‘Um projeto e meio limão’, de Narciso Moreira

    E quando uma história é muito mais do que uma história? Esta é uma dessas histórias!

    "Um Projeto e Meio Limão" inclui toda a informação de que a criança necessita para desenvolver um projeto, quer tenha ou não meio limão! Basta-lhe ter motivação para a sua concretização! Um projeto tem muitos momentos, muitas fases para serem cumpridas.

    Neste livro, sem que a criança se aperceba, são apresentadas todas essas fases. Após a leitura do livro e a visualização da peça de teatro, a criança estará capaz de desenvolver o seu próprio projeto! Se mesmo assim tiver dificuldades, pode sempre contar com a colaboração do Senhor Empreendedorismo.

    Esta obra apresenta-se como uma ferramenta pedagógica ao dispor de educadores e educandos. Este é o regresso d’ "O Senhor Empreendedorismo", depois do sucesso do primeiro livro, com uma história nada amarga e cheia de sumo.

  • ‘Obstinada’, de Sylvia Day

    Como agente da Coroa, Marcus Ashford, conde de Westfield, travou inúmeras lutas de espada, foi baleado duas vezes e esquivou-se a muitos tiros de canhão. E, no entanto, nada o excita mais do que a fome primitiva que a sua ex-noiva, Elizabeth, desperta nele. Anos antes, ela trocou-o pelo jovem e inexperiente Lorde Hawthorne. 
    Agora, cabe a Marcus defender a elegante viúva, e ele irá fazê-lo enquanto trata das outras necessidades dela, mais carnais, mostrando-lhe a profundidade do desejo de um verdadeiro homem... Segredos perigosos conduziram ao homicídio do marido de Lady Hawthorne, segredos anotados num diário que muitos matariam para possuir. Mas confiar a sua proteção ao homem mais sedutor que ela já conheceu? Ultrajante. Impensável. Irresistível. Pois foram as paixões fortes e o desejo ardente de Marcus que a assustaram e a levaram a abandoná-lo anos atrás...
    No entanto, o seu desejo por ele nunca diminuiu. Agora, ele quer estar ao seu serviço, em todos os sentidos. E talvez a atitude mais sensata seja não resistir à tentação, mas entregar-se a ela completamente...’

  • ‘Hambúrgueres gourmet à alta burguesia’, de Francisco Carvalho

    «Não vou falar sobre a história do hambúrguer, como seria normal na introdução de um livro sobre este prato. Sabe porquê? Precisamente porque a minha proposta em nada se cruza com a história do nascimento do hambúrguer. Revolução? Sim, a revolução num prato que ao longo dos tempos foi tão maltratado. Comida de snack-bar, comida de cadeias mundiais de alimentação, comida rápida, não fossem os molhos de maionese e ketchup, diria mesmo comida sem sabor.
    A minha proposta entra num registo gourmet, no que de melhor esta palavra tem. Explorar sentidos, fazer combinações esquisitas, piscar o olho a certos aromas, encontrar estranhos ingredientes nas diferentes mercearias do mundo, tendo como base o hambúrguer, só poderia ter um resultado. E é esse resultado que este livro apresenta. Tenha alguma paciência, pois a confeção de cada receita de hambúrgueres deste livro pode dar-lhe algum trabalho, mas o resultado é tão merecedor, que me atrevo a perguntar-lhe: já preparou a sua cozinha para a revolução do hambúrguer?»

  • ‘Pessoas que nos fazem felizes: perceba quem gosta realmente de si e liberte-se de relações tóxicas’, de Margarida Vieitez

    Como saber quem gosta mesmo de nós? Como distinguir as pessoas que nos querem bem daquelas que apenas fingem gostar da nossa companhia, e que tanto podem ser os nossos companheiros, como familiares ou amigos? Como é que podemos perceber quem está genuinamente interessado no nosso bem-estar e felicidade? Quais os sinais a que devemos estar atentos para tirar essas dúvidas que tanto nos inquietam, mas que tendemos a varrer para debaixo do tapete? Como saber se uma relação de amor, de amizade, familiar ou de trabalho, nos faz bem ou se, pelo contrário, apenas nos desgasta e causa frustração? O que sentimos quando vivemos uma relação plena, gratificante, com verdadeiro sentido? Quais os efeitos dessa cumplicidade no nosso dia a dia? Então, porque nos deixamos cair tantas vezes em relações empobrecidas? Qual a influência que elas têm na nossa vida? Porque é que, por vezes, aceitamos migalhas quando podemos – e merecemos – ter muito mais? Mudar o outro valerá a pena? Não será uma utopia?
    "Pessoas Que Nos Fazem Felizes" traz-nos uma perspectiva totalmente nova sobre as relações e sobre o papel dos outros no nosso equilíbrio, aprofundando a natureza das escolhas que fazemos na nossa esfera mais íntima e pessoal.

  • ‘A lança do deserto’, de Peter V. Brett

    O Sol põe-se sobre a Humanidade. A noite pertence agora a demónios vorazes que se materializam com a escuridão e que caçam, sem tréguas, uma população quase extinta, forçada a acobardar-se atrás da segurança de guardas de poder semi-esquecidas. Mas estas guardas apenas servem para manter os demónios à distância e as lendas falam de um Libertador; um general, alguns chamar-lhe-iam profeta, que em tempos uniu a Humanidade e derrotou os demónios. No entanto esses tempos, se alguma vez existiram, pertencem a um passado distante. Os demónios estão de volta e o Libertador é apenas um mito… Ou será que não?

  • ‘Nos teus olhos vejo o mundo’, de Luísa Castel-Branco

    Neste novo livro, Luísa Castel-Branco expõe sem medo a sua verdade. Eis a vida como ela é, nem sempre colorida nem sempre a preto e branco.
    «Falo da magia das pequenas grandes coisas. Estou sentada aqui e olho à minha volta e nada me rodeia de grande valor, luxo ou ostentação.
    Falo desta conjugação perfeita que se pode sentir numa casa nova, porque se encontrou a coragem para deitar fora o passado e tudo ao nosso redor se tornou leve. Branco. Luminoso.
    Falo dos momentos pequeninos em que um dos meus netos me faz rir ou se dobra a rir em gargalhadas.
    (…)
    E aqui deixo-vos a minha verdade.
    Sou apenas isto e nada mais.
    Que vos faça boa companhia.»’

  • ‘Queridas bactérias’, de Erica Sonnenburg e Justin Sonnenburg

    Olhe para a sua mão. A menos que a tenha desinfetado, haverá nela mais micróbios do que pessoas da terra. E se pudesse ver o que se passa no seu intestino, descobriria que “moram” lá cem mil milhões de bactérias – em fila indiana, chegariam até à lua. Vivemos em simbiose com milhões de criaturas que precisam de nós para se alimentar. E que nos ajudam a fazer a digestão, a combater a depressão e a velar pela nossa imunidade às doenças – do cancro à diabetes. 
    O reverso da medalha é que se podem tornar terríveis inimigas, se não soubermos cuidar delas. A chave da nossa saúde depende do equilíbrio delicado entre nós (os anfitriões) e essa comunidade de micróbios (a microbiota). Maus hábitos alimentares, excesso de antibióticos e um ambiente muito esterilizado têm vindo a destruir os organismos que nos habitam. E no intestino é pior; quando não tem fibras com que se alimentar, as bactérias começam a destruir as paredes da sua “casa”, provocando desde úlceras a colites. 
    "Queridas Bactérias" é o manual definitivo para termos uma flora intestinal saudável. Inclui a ciência, os conselhos práticos, um programa alimentar completo, com ementas e receitas, para que não lhe faltem as fibras e o que mais precisar. O resultado: boa disposição, perda de peso e uma saúde à prova… das bactérias más.

  • ‘Pare, pense e mude!’, de António de Almeida Santos

    António de Almeida Santos regressa, neste livro, aos seus temas prediletos: gerar inquietações num espaço de quietude de alto risco. Com interrogações a sucederem-se. Em causa questões que, no dizer do autor, afligem o Mundo e ameaçam a civilização contemporânea: o crime organizado, a corrupção, o presente e o futuro da globalização, a banalização cultural, a idolatria do lucro, a explosão demográfica com novos passageiros a entrarem «sem tirar bilhete ou pedir licença». 
    Ou seja, mais do que um livro de preocupações, "Pare, Pense e Mude!" é sobretudo o produto das reflexões de «um político em fim de percurso». Mas que continua a acreditar que ainda se está a tempo de sobrepor as esperanças às preocupações. Basta para tanto que o homem seja capaz de travar o «voo cego em direção a nada» que parece constituir uma imagem de marca do nosso quotidiano.

  • ‘O teorema Katherine’, de John Green

    Dezanove foram as vezes que Colin se apaixonou. Das dezanove vezes a rapariga chamava-se Katherine. Não Katie ou Kat, Kittie ou Cathy, e especialmente não Catherine, mas Katherine. 
    E das dezanove vezes, levou com os pés. Desde que tinha idade suficiente para se sentir atraído por uma rapariga, Colin, ex-menino prodígio, talvez génio matemático, talvez não, doido por anagramas, saiu com dezanove Katherines. E todas o deixaram. Então ele decide inventar um teorema que prevê o resultado de qualquer relacionamento amoroso. E evitar, se possível, ter o coração novamente destroçado. Tudo isso no curso de um verão glorioso passado com o seu amigo Hassan a descobrir novos lugares, pessoas estranhas de todas as idades e raparigas especiais que têm a grande vantagem de não se chamarem Katherine.’

  • ‘Marquesa de Alorna: do cativeiro de Chelas à corte de Viena’, de Maria João Lopo de Carvalho

    Leonor, Alcipe, condessa d’Oeynhausen, marquesa de Alorna – nomes de uma mulher única e plural, inconfundível entre as elites europeias. Com a sua personalidade forte e enorme devoção à cultura, desconcertou e deslumbrou o Portugal dos séculos XVIII e XIX, onde ser mãe de oito filhos, católica, poetisa, política, instruída, viajada, inteligente e sedutora era uma absoluta raridade. Viu Lisboa e a infância desmoronarem-se no terramoto de 1755, passou dezoito anos atrás das grades de um convento por ordem do marquês de Pombal e repartiu a vida, a curiosidade e os afectos por Lisboa, Porto, Paris, Viena, Avinhão, Marselha, Madrid e Londres. Viveu uma vida intensa e dramática, sem nunca se deixar vencer. Privou com reis e imperadores, filósofos e poetas, influenciou políticas, conheceu paixões ardentes, experimentou a opulência e a pobreza, a veneração e o exílio. Marquesa de Alorna é uma história de amor à Liberdade e de amor a Portugal. A história de uma mulher apaixonada, rebelde, determinada e sonhadora que nunca desistiu de tentar ganhar asas em céus improváveis, como a estrela que, em pequena, via cruzar a noite.

  • ‘Vamos comprar um poeta’, de Afonso Cruz

    Numa sociedade imaginada, o materialismo controla todos os aspetos das vidas dos seus habitantes. Todas as pessoas têm números em vez de nomes, todos os alimentos são medidos com total exatidão e até os afetos são contabilizados ao grama. 
    E, nesta sociedade, as famílias têm artistas em vez de animais de estimação. A protagonista desta história escolheu ter um poeta e um poeta não sai caro nem suja muito – como acontece com os pintores ou os escultores – mas pode transformar muita coisa. A vida desta menina nunca mais será igual… 
    Uma história sobre a importância da Poesia, da Criatividade e da Cultura nas nossas vidas, celebrando a beleza das ideias e das ações desinteressadas.

  • ‘Espera por mim’, de Gayle Forman

    Passaram três anos desde que o amor de Adam ajudou Mia a recuperar após o trágico acidente que vitimou a sua família – e três anos desde que Mia decidiu afastá-lo da sua vida sem lhe dar explicações. Quando uma noite os seus caminhos se cruzam na cidade de Nova Iorque, ambos têm a oportunidade de se confrontar com os fantasmas do passado e de abrir o coração ao futuro. Mas conseguirão perdoar-se um ao outro antes de cada um ter de regressar à vida tal como a deixaram? 
    "Espera Por Mim" é a aguardada continuação de "Se Eu Ficar", bestseller do New York Times.

  • ‘O ano mais estúpido do meu irmão mais novo’, de Miguel Morais

    Olá, eu sou o Miguel, e este é o diário do palerma do meu irmão mais novo! Nele vais poder ler os seus enormes disparates, em casa e na escola, esgotando a paciência à família e à professora. Tirando a adoração que tem pelo futebol, seja na PlayStation ou com caneladas a sério, tudo lhe faz confusão e o empurra para um conjunto de trapalhadas, não havendo limites para tamanha estupidez. Até mesmo a Francisca, a miúda por quem ele se apaixonou, quer distância da sua cabeça oca! Mas nem isso ele consegue perceber…
    Olá, eu sou o Gonzo! Posso não ter a inteligência do meu irmão mais velho, mas isso não me impede de curtir a vida. Neste livro, acompanha-me no regresso às aulas (que seca!), logo a seguir à viagem que fiz à ilha da Madeira, onde pude visitar o museu do Cristiano Ronaldo! Vê como melhorei a minha capacidade de contar anedotas e como me diverti a fazer vídeos com a minha câmara de filmar, para depois os colocar na Internet. Não percas também a chegada à turma do meu primeiro colega estrangeiro e toda a alegria em volta da época natalícia, que, mais do que uma festa de gulodice, se transformou num momento muito especial entre mim e a Francisca!

  • ‘Descobre os barcos com Marco’, de Nathalie Bélineau

    Os mais pequenos vão poder descobrir com os barcos com o Marco; uma abordagem lúdica e educativa para despertar a curiosidade das crianças, enriquecer o vovabolário e o seu sentido de observação.

  • ‘O ano mais estúpido do meu irmão mais novo’, de Miguel Morais

    «Olá, eu sou o Miguel, e este é o diário do palerma do meu irmão mais novo! Nele vais poder ler os seus enormes disparates, em casa e na escola, esgotando a paciência à família e à professora. Tirando a adoração que tem pelo futebol, seja na PlayStation ou com caneladas a sério, tudo lhe faz confusão e o empurra para um conjunto de trapalhadas, não havendo limites para tamanha estupidez. Até mesmo a Francisca, a miúda por quem ele se apaixonou, quer distância da sua cabeça oca! Mas nem isso ele consegue perceber…
    Olá, eu sou o Gonzo! Posso não ter a inteligência do meu irmão mais velho, mas isso não me impede de curtir a vida. Neste livro, não percas a chegada a casa do meu animal de estimação nem os meus jogos de futebol do campeonato da escola. Descobre também como resolvi melhorar a minha imagem com uma tesoura de cortar peixe e como criei a minha fantástica alcunha. Entra nas minhas aventuras de geocaching, vê como me diverti no Carnaval e na Páscoa e como me comportei na apresentação à família da feiosa namorada do meu irmão. Ah, claro, e prepara-te para conheceres o plano brilhante que elaborei para conquistar a Francisca!»

  • ‘O pai galinha e o seu pintainho’, de Bernardino Pacheco

    A história de um pai com coração de mãe. Um livro que nos revela que o amor de pai é tão incondicional como o de mãe. Bernardino Pacheco fugiu ao cliché quando criou um Pai que tem tanto de super-herói como de fada do lar.

    O Pai Galinha
    tem duas asas
    um bico
    duas patas
    muitas penas,
    mas não é uma galinha.
    É um pai muito especial.
    Faz tudo como a mamã que nem sempre está cá.

  • ‘Óscar e Faísca’, de Claire Freedman e Kate Hindley

    Quando o Óscar encontra um pequeno cão chamado Faísca, ele faz o seu primeiro amigo na grande cidade. O problema é que o Óscar sabe que há alguém, algures, à sua procura… Uma história encantadora que vai derreter o teu coração.

  • ‘O aniversário surpresa da Anna’, de Jessica Julius

    A rainha Elsa estava entusiasmada. Hoje era o aniversário da princesa Anna! 
    A Elsa queria certificar-se de que o dia especial da sua irmã era perfeito.
    Também tu estás convidada para assistir a este maravilhoso e inesquecível aniversário, através das páginas coloridas deste livro. 
    Estão todos presentes na grande festa Frozen: o Olaf, o Kristoff, o Sven, e muitos mais.

  • ‘Querido pai’, de Orianne Lallemand

    Pai Miminhos, Pai Força, Pai Compincha, Pai Cócegas... Descubra o olhar que uma menina lança sobre os estados de alma do seu pai, acompanhados de ilustrações transbordantes de ternura. 
    Depois de Mamã Maravilha, é a vez de os pais terem a sua homenagem, num livro que é um presente ideal tanto para os mais pequenos como para os mais crescidos.

  • ‘O senhor empreendedorismo’, de Narciso Moreira

    Empreendequê?!?!?!
    Empreendedorismo, empreendedorismo… 
    O empreendedorismo aparece como elemento central de um diálogo entre a Maria Menina e o Senhor Empreendedorismo, no qual este apresenta alguns argumentos para a criança desenvolver as suas competências empreendedoras. Apoiado por ilustrações vigorosas que refletem a alegria do diálogo, apresenta como cenário um ambiente contrastante entre a cidade e o campo numa simbiose agradavelmente familiar a muitas cidades portuguesas. 
    O Senhor Empreendedorismo apresenta-nos as competências empreendedoras, descendo de uma árvore e aproximando-se da criança para simplificar o seu nome e a sua missão… 
    Ao longo do livro, as crianças vão assim tendo contacto com alguns conceitos relevantes que se vão desmistificando e, paulatinamente, vão também começar a ser parte integrante do seu vocabulário. 
    Porque nem todas as histórias são para adormecer, esta é uma história para Empreender!

  • ‘Escravas: vendidas pelo próprio pai, Zana e Nadia comoveram o mundo’, de Zana Muhsen e Miriam Ali

    Filhas de pai iemenita e mãe britânica, Zana e Nadia nasceram em Inglaterra, onde viveram até ao dia em que o pai lhes propôs uma visita ao Iémen. As irmãs acreditaram estar perante umas férias de sonho: iam conhecer a família paterna e o país sobre o qual ouviam histórias desde meninas. O que se seguiu, foi um pesadelo. No Iémen, foram separadas e casadas à força com desconhecidos. A viver em condições sub-humanas numa cultura à qual eram alheias, transformaram-se no alvo preferido dos aldeões. Após oito anos de agonia, Zana fugiu. Mas o preço que pagou pela sua liberdade foi tremendo: teve de abandonar o seu filho, Marcus. Nadia não conseguiu. Por amor aos filhos, ficou e resignou-se à escravidão. Zana e a mãe, Miriam, fizeram então uma promessa: trazer Nadia e os filhos de ambas para Inglaterra. Acreditavam que os homens da sua família e os governos dos dois países tomariam uma atitude. Estavam enganadas. Para ambas, começava mais um longo calvário. Perante a indiferença da comunidade internacional, Nadia continua cativa no Iémen. Zana e Miriam não desistem da sua luta. Escravas é um pedido de ajuda. Um grito de revolta. Um documento fundamental sobre uma das práticas mais aberrantes do mundo contemporâneo.