Site Autárquico Loulé

Loulé assinala Dia da Floresta Autóctone com limpeza, plantações e remoção de chorão em praia

Loulé assinala Dia da Floresta Autóctone com limpeza, plantações e remoção de chorão em praia

Ambiente

20 de novembro de 2018

A Câmara Municipal de Loulé vai promover um programa comemorativo do Dia da Floresta Autóctone (23 de novembro), com a realização de iniciativas diversas que decorrerão do interior ao litoral do Concelho de Loulé.

Assim, já esta quinta-feira, dia 22, acontece em Querença a ação de sensibilização e limpeza na zona envolvente à Fonte Filipe, com entrega de folhetos relativos à importância de conservação da Floresta Autóctone, bem como alguma informação sobre as principais características, cultivo e utilização das espécies autóctones desta área. Esta ação contará com a presença de 65 participantes da Escola Secundária de Loulé.

O momento alto deste programa acontece na sexta-feira, dia 23, com a mega ação de plantação “Montanha Verde”, no âmbito do Movimento Florestar Portugal. Numa iniciativa do Zoomarine que decorre em quatro municípios algarvios – Loulé, Portimão, Silves e Monchique – o objetivo é plantar 21 mil árvores neste dia.

No caso de Loulé, a iniciativa terá o seu início pelas 9h00, numa zona designada de “Cerro dos Fatos”, entre o Canil de S. Francisco de Assís e a Cimpor, com a chegada dos primeiros participantes, entre voluntários, alunos das escolas do Concelho e trabalhadores da Autarquia, prevendo-se a presença do dobro (mais de 600 participantes) face ao ano anterior. Serão plantadas 5500 espécimes: 1400 pinheiros-mansos, 1250 azinheiras, 2000 medronheiros e 850 ciprestes.

Esta operação surge em 2016, como resposta aos incêndios que têm fustigado o país, e o Algarve em particular, provocando alterações importantes ao nível da paisagem, com consequências negativas ao nível ambiental, social e económico. A realização de ações de reflorestação tem permitido contribuir, cada vez mais e de modo sustentável no tempo, para a recuperação de zonas ardidas, baldias e terrenos áridos, recorrendo a uma escolha de espécies de plantas e arbustos florestais perfeitamente adaptados e em harmonia com a biodiversidade e clima do local a plantar. Neste sentido e com o objetivo de mitigar as perdas dos fogos florestais, esta iniciativa pretende plantar árvores, ajudando a repor, assim, os importantes “pulmões” do território, dando o seu

contributo em prol da defesa da biodiversidade e promoção da floresta portuguesa.

Se em 2016 foram plantadas 5000 árvores no Concelho de Silves, em 2017, Loulé aderiu a esta causa, tendo sido plantadas 10600 árvores nos dois concelhos, Silves e Loulé (neste caso com a presença de 300 voluntários, entre crianças, jovens e adultos).

Já no dia 28 de novembro, as atenções voltam-se para o litoral, com mais uma ação de voluntariado ambiental, que tem por objetivo a remoção de invasoras (chorão das praias) na envolvente à Praia do Ancão (Quinta do Lago), com vista a dar continuidade ao trabalho de monitorização que tem vindo a ser desenvolvido ao longo dos últimos anos, com o intuito de erradicar o chorão-da-praia no Parque Natural da Ria Formosa.

O objetivo principal é, assim, eliminar esta planta invasora, através do arranque manual, restituindo as condições naturais, de forma a proporcionar a colonização com espécies autóctones e dar a conhecer a problemática das plantas invasoras, ao mesmo tempo que se fomenta o conhecimento e práticas que possam incrementar a consciencialização e o reconhecimento da importância da Ria Formosa. A ação contará com a participação 25 voluntários que provêm do projeto Social ERASMUS, inserindo-se nos “Social Inclusion Days”, evento que irá providenciar oportunidades para os estudantes locais e internacionais e também toda a comunidade local, conhecerem diferentes realidades e tomar o conhecimento de como poderiam contribuir para melhorar a sociedade como cidadãos do mundo.