Site Autárquico Loulé

Ambiente e Oceanos são temas de programa comemorativo em Loulé

Ambiente e Oceanos são temas de programa comemorativo em Loulé

Ambiente

05 de junho 2019

No âmbito de duas efemérides ligadas à temática ambiental - Dias Mundiais do Ambiente (5 de junho) e dos Oceanos (8 de junho) – , a Câmara Municipal de Loulé volta a assinalar a Semana do Ambiente e Oceanos com um conjunto muito diversificado de ações de caráter ambiental, que terão como objetivo comum informar e sensibilizar a população (escolar e público em geral) para a preservação do ambiente e salvaguarda dos oceanos e dos seus recursos naturais.

Ontem, 4 de junho, teve início, de forma simbólica, a ação de “Formação Apícola” que acontecerá durante um ano (até junho de 2020), no Centro Ambiental de Loulé, Lagoa de Momprolé e outros espaços. Esta formação é destinada a quem tem interesse em iniciar-se na atividade apícola, mesmo com poucos ou nenhuns conhecimentos do maravilhoso mundo das abelhas e do seu importante papel e contributo global para a polinização e consequentemente para a continuidade da grande biodiversidade de plantas existente no nosso planeta. O objetivo desta formação é apresentar o formando à apicultura, dotando-o de conhecimentos e noções básicas fundamentais dos materiais, técnicas e processos que a atividade implica.

Esta quarta-feira, 5 de junho, data em que se assinala o Dia Mundial do Ambiente, decorre um percurso interpretativo e sessão de anilhagem de aves – “Vem descobrir as aves na Fonte da Benémola” –, com alunos da Escola EB1 da Estação de Loulé. A ação nasce de uma parceria com a equipa de anilhadores credenciados pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e Associação Almargem – Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental do Algarve. Com o intuito de complementar as visitas interpretativas de fauna e flora realizadas na Paisagem Protegida Local da Fonte Benémola e aproveitar o importante trabalho de anilhagem de aves que tem vindo a ser desenvolvido neste local, nesta sessão os alunos participantes serão convidados a assistir a uma sessão de anilhagem científica de aves. A anilhagem de aves tem como intuito a obtenção de um conhecimento mais aprofundado relativamente às espécies existentes no local, nomeadamente as residentes e as migradoras estivais que nidificam nesta zona. Neste contexto, os alunos partirão à descoberta do mundo das aves, onde acabarão por perceber a importância do trabalho de anilhagem, como a mesma deve ser feita e qual o seu papel para um maior conhecimento dos hábitos das aves e, consequentemente, a sua importância para a compreensão de todo o ecossistema, despertando-os também para a descoberta da biodiversidade (fauna e flora) desta Área Protegida, motivando-os a envolverem-se na conservação da Natureza.

Ainda hoje, e também numa iniciativa destinada à comunidade escolar (alunos da Escola EB1 de Vale Silves), decorrem as Jornadas Ambientais na Praia de Vilamoura. Os estudantes participam em 2 jogos lúdico-didáticos de sensibilização ambiental, nomeadamente numa estafeta para “Separação de Resíduos” e em perguntas e respostas em torno do tema “A Poluição dos Oceanos”, onde serão transmitidos quais os comportamentos sustentáveis a adotar.

Já esta sexta-feira, 7 de junho, decorre a ação de voluntariado ambiental com a remoção de invasoras no litoral, na área envolvente à Praia do Ancão, com a participação de alunos do 3º Ciclo da EB 2,3 Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva de Boliqueime. Esta ação resulta da colaboração conjunta entre a Autarquia, a Associação Almargem e a APA-ARH Algarve, e visa promover a partilha pedagógica de experiências e em simultâneo o desenvolvimento de atividades sobre a importância da preservação dos valores naturais deste território. Esta iniciativa em específico tem como objetivo a erradicação de chorão-da-praia (planta invasora) neste local (alvo de monitorização há diversos anos com resultados extremamente satisfatórios), através do arranque manual, restituindo as condições naturais, de forma a proporcionar a colonização com espécies autóctones e dar a conhecer a problemática das plantas invasoras. Esta iniciativa promove igualmente a consciencialização e o reconhecimento da importância da Ria Formosa, contribuindo para a construção de uma consciência ecológica conducente à preservação do património natural e cultural.

Também nesse dia, pelas 14h30, decorrerá uma visita às Hortas Urbanas de Loulé, dando a conhecer o espaço e promovendo o convívio entre os seniores do Lar Ribeira da Tôr - Associação Social e Cultural da Tôr.

Este programa estende-se até ao dia 13 de junho, altura em que decorrerá, no Cine-Teatro Louletano, a partir das 18h00, o momento alto das atividades: a apresentação final do projeto “Planeta Meu” - dança inclusiva e ambiente: Arte-educação de e para a comunidade”.

“Planeta Meu” é um projeto de criação artística e dança, focado em problemáticas ambientais da atualidade e possíveis caminhos para a sua resolução/controle, nomeadamente as questões relacionadas com os resíduos nos oceanos e os incêndios. Muitos dos grandes problemas ambientais da atualidade estão diretamente relacionados com a atividade humana das últimas décadas, com o estilo de vida moderno, pós-industrial, com a concentração demográfica dos grandes centros urbanos, com o consumismo exagerado, a produção e utilização excessiva de plásticos, a destruição das florestas e habitats naturais… E acima de tudo com a falta de consciência e sabedoria dos seres humanos para com o seu planeta presente e futuro. Se a ignorância e a ganância humanas aliadas estão na base das problemáticas ambientais que enfrentamos, resta-nos educar e sensibilizar, tornar a próxima geração consciente e capaz de reverter ou conter a tendência destrutiva e de exploração exaustiva que fazemos atualmente dos recursos. Como faremos? Encontramo-nos em permanente conexão, correlação com o ambiente. Influenciado e sendo influenciados, fazendo parte da natureza, da vida e corpo do planeta. A destruição de um será a destruição do outro e vice-versa.

“Planeta Meu” transformou-se, assim, num espetáculo onde os protagonistas são uma turma de 26 alunos do 3º ano da escola EB1 Nº5 de Loulé – Hortas de Santo António e utentes da UNIR – Associação dos Doentes Mentais, Famílias e Amigos do Algarve, que começaram os ensaios no início do ano letivo 2018/2019, tendo sido também convidados a participar e a integrar este espetáculo, outros grupos da região do Algarve, nomeadamente: alunos da Associação Semente de Alfarroba (Tavira), alunos do Estúdio da Bordeira (Faro), alunos do ATL A Pimponeta (Faro) e alunos do Clube Avô (Albufeira), num total superior a 90 bailarinos participantes em palco.

Este é um projeto criado, coreografado e encenado por Inês Mestrinho e integrado no Plano de Atividades de Educação Ambiental do Centro Ambiental, elaborado e promovido pela Divisão de Ambiente da Câmara Municipal de Loulé e pela Associação Almargem.