Site Autárquico Loulé

Município de Loulé monitoriza período crítico de incêndios florestais com reuniões operacionais

Município de Loulé monitoriza período crítico de incêndios florestais com reuniões operacionais

Proteção Civil

06 de agosto 2019

O Município de Loulé, através da sua estrutura Municipal de Proteção Civil, iniciou as Reuniões Operacionais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, que irão realizar-se durante o período crítico dos incêndios florestais, à semelhança do que tem acontecido, em período homólogo, nos anos anteriores.

Estas reuniões, realizadas quinzenalmente, são essencialmente de carácter operacional, têm como principal objetivo a interligação permanente e a partilha de informação e monotorização entre as várias entidades e serviços que, no patamar municipal, constituem ou colaboram no dispositivo para a Defesa da Floresta contra Incêndios.

A base deste grupo de coordenação operacional e institucional é a análise quinzenal de ocorrências, nomeadamente do risco de incêndio, das ações de vigilância, combate, gestão das faixas de combustível e o planeamento integrado com medidas operacionais adequadas para a quinzena seguinte. Tendo em conta a estratégia municipal de prevenção e preparação para o flagelo que constituem os incêndios florestais no Município de Loulé, consegue-se, assim, uma resposta mais eficiente e proactiva.

Além do executivo municipal, que coordena estas reuniões, marcam presença nas mesmas o Serviço Municipal de Proteção Civil e o seu Gabinete Técnico Florestal, a Guarda Nacional Republicana com o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente  (SEPNA) e do Grupo de Intervenção Proteção e Socorro (GIPS), Bombeiros Municipais de Loulé, Equipa Municipal de Intervenção Florestal, Associação de Produtores Florestais da Serra do Caldeirão, Exército Português, o representante das associações e clubes de caça do Concelho, Juntas de Freguesia e as unidades orgânicas da Câmara Municipal com intervenção nesta matéria.

No período compreendido entre 1 de julho e 30 de setembro, e caso não exista prorrogação do período crítico, está prevista a realização de 7 reuniões operacionais.

Estas reuniões operacionais, iniciadas em 2017, têm-se revelado como uma excelente prática de articulação entre as várias entidades que concorrem para este desígnio. Recorde-se que, no Algarve, Loulé é o município que tem o maior número de aldeias e aglomerados (um total de 141) integrados nas 4 freguesias classificadas com o primeiro grau de prioridade no âmbito Defesa da Floresta contra Incêndios: Alte (33), Ameixial (16), Salir (54) e União de Freguesias (38).