Site Autárquico Loulé

“TOMA LÁ DÁ CÁ”: CÂMARA DE LOULÉ INVESTE MAIS DE 1 MILHÃO DE EUROS PARA ESTIMULAR CONSUMO E APOIAR COMÉRCIO LOCAL

“TOMA LÁ DÁ CÁ”: CÂMARA DE LOULÉ INVESTE MAIS DE 1 MILHÃO DE EUROS PARA ESTIMULAR CONSUMO E APOIAR COMÉRCIO LOCAL

Economia

Campanha prevê um retorno de 5 milhões de euros para os empresários do concelho.

15 de março 2021

No mesmo dia em que o Governo apresentou as medidas de apoio ao plano de desconfinamento económico que arranca na próxima semana, a Autarquia de Loulé deu a conhecer a campanha “Toma Lá Dá Cá”, uma iniciativa “de carácter inovador” já que assenta no estímulo ao consumo no comércio local para apoiar os empresários do concelho que vivem dias difíceis.

Trata-se de uma campanha de descontos diretos no consumo realizado no comércio local, restauração e serviços, numa lógica de “up-selling” e “cross-selling” estratégias que visam aumentar o volume de negócios e permitir o cruzamento de vendas entre os estabelecimentos.

Assim, ao efetuar uma primeira compra no comércio local, de valor igual ou superior a 10€, o consumidor terá um desconto imediato de 2,5€. Em simultâneo, será entregue ao consumidor um cheque no valor de 7,5€ que pode ser usado em qualquer estabelecimento aderente, no prazo de 30 dias, para compras superiores a 25,00€.

Caso a primeira compra seja de valor igual ou superior a 20€, o estabelecimento fará o desconto imediato de 5€, sendo ainda entregue ao consumidor um cheque comércio local no valor de 15€, para descontar em compras superiores a 50€.

Ou seja, “no total poderá chegar, numa primeira compra, a um valor total de 400,00€ de apoios públicos e associativos, enquanto que, na segunda compra, pode ir até um patamar de 2.000,00€; na conjugação das duas compras, o estabelecimento pode ter um apoio total no montante de 2.400,00€”, explicou Pedro Pimpão, vice-presidente do Município, responsável pela apresentação do projeto.

De acordo com os CAEs elegíveis (aqueles que estão a ser mais prejudicados pelo confinamento económico, com destaque para a restauração, “setor que poderá ter um reforço nesta campanha”), Pedro Pimpão acredita que poderão ser atingidas cerca de 700 empresas.

De notar que ficam de fora os estabelecimentos comerciais e de restauração que estejam integrados em grandes superfícies. A razão é simples, como explicou Pedro Pimpão: “o comércio local é aquele que deve ter uma atenção redobrada por parte da Autarquia, é por isso que cingimos áquilo que é o apoio ao pequeno comércio, ao micro empresário com o micro consumo multiplicativo e que vai gerar, a nosso ver, uma dinâmica nas próprias cidades com esta campanha”.

É precisamente esse efeito multiplicativo de curto prazo uma das grandes âncoras da campanha. Ou seja, com o desconfinamento e a abertura gradual da atividade económica, a Câmara de Loulé pretende que o crescimento do consumo seja mais acentuado para fazer face às perdas por parte dos comerciantes e empresários dos diferentes setores.

 O valor de investimento inicial no projeto é de 1 milhão de euros, aos quais acrescem 150 mil euros para a comunicação e promoção da campanha, que se irá estender até ao final do ano. No entanto, estima-se que o “Toma Lá Dá Cá” possa potencializar um volume de negócios na ordem dos 5,250 milhões de euros.

A campanha arranca a 19 de março, Dia do Pai, uma data simbólica pela dinâmica para a atividade comercial que tradicionalmente integra.

A apresentação desta campanha, que decorreu no auditório do Palácio Gama Lobo, contou também com um momento de celebração de dois protocolos, com a ACRAL e com o NERA, que materializam esta ação.

Para Vítor Aleixo, este é um “projeto de grande importância para os meses vindouros na vida da nossa economia e uma resposta às preocupações dos empresários que contribuíram também para a reflexão e planeamento à volta desta ação”.

Tal como aconteceu ao longo de toda a crise pandémica, a Autarquia tem estado em consonância com as medidas promovidas pela administração central e a campanha hoje apresentada não é exceção, tal como o momento em que foi divulgada. “Estamos aqui, articulados e alinhados, a anunciar localmente como é que as novas orientações (do Governo) são interpretadas e vertidas neste programa”, esclareceu o autarca.

Também Vítor Aleixo realçou a diferença que marca o “Toma Lá Dá Cá”: “Não é uma resposta convencional já que o seu foco é colocado no estímulo aos consumidores. As pessoas estiveram confinadas muito tempo e estão ansiosas por voltar à vida normal, à atividade laboral e também ao consumo. Então iremos ajudar as empresas através dos consumidores. O dinheiro público que vai ser investido vai ter uma multiplicação na economia e essa é uma abordagem séria para darmos o nosso contributo”, frisou, adiantando que se trata de uma “ferramenta muito boa para valer às nossas empresas”.

Já Vítor Neto, presidente do NERA, considerou ser esta “uma iniciativa espetacular e importantíssima” numa altura em que o Algarve enfrenta “uma situação muito grave”. “Trata-se de uma iniciativa com objetivos muitos concretos e que vai ter resultados. Isto é integrar na economia do Algarve 1.150.000,00 euros que se podem transformar em 4 ou 5 milhões de atividade económica, beneficiando consumidores, estimulando psicologicamente a sua intervenção, apoiando e reforçando os empresários que podem ter aqui um elemento de esperança e confiança em relação ao futuro”.

Da parte do representante da ACRAL, Paulo Alentejano, “este era o tipo de iniciativas e de protocolos que ninguém queria estar a fazer, mas infelizmente estamos a ultrapassar esta situação que acreditamos esteja a chegar ao fim”.

A par destes representantes associativos ligados ao comércio, marcaram presença nesta sessão os dirigentes de duas jovens associações que nasceram no decorrer da pandemia para defender os interesses do setor – Associação de Empresários Por Quarteira, liderada por Bruno Fraga, e Associação da Restauração da Cidade de Loulé, com o presidente Filipe Lázaro.

Toda a informação sobre a campanha “Toma Lá Dá Cá” e o processo de candidaturas pode ser consultada em www.loulelocal.pt . Qualquer dúvida poderá ser colocada através do telefone 280 400 829 ou do email comerciolocal@cm-loule.pt